quinta-feira, junho 15, 2006

O que são infecções urinárias?

As infecções urinárias são infecções do aparelho urinário, frequentes na infância, com maior preponderância no sexo feminino.
Têm sido causa comum de internamento nos serviços de Pediatria.
O seu diagnóstico e tratamento adequados são importantes para prevenir a evolução para uma infecção renal, denominada de pielonefrite ou infecção mais grave, que toma o nome de sepsis.
Estas podem vir a complicar-se ( insuficiência renal e/ou cicatrizes renais).As infecções urinárias podem surgir de duas formas distintas: uma através de bactérias que contaminam o sangue e infectam secundariamente o aparelho urinário (via hematogénea), e outra, mais frequente, a partir de bactérias presentes na região do períneo (zona que rodeia o ânus e os genitais), que a partir da abertura da uretra infectam outras zonas do aparelho urinário (via ascendente).
A primeira forma de infecção (via hematogénea) é característica do 1º mês de vida de uma criança. Depois dessa idade a grande maioria das infecções urinárias faz-se através da via ascendente.
A possibilidade de infecção esta via está associada:
- à ausência ou desadequada higiene do períneo (onde se encontram microorganismos da flora intestinal transportados pelas fezes);
- à proliferação de bactérias se existem condições que facilitam a permanência prolongada da urina na bexiga (tais como o esvaziamento pouco frequente ou incompleto da bexiga ou a existência de anomalias do aparelho urinário).
Como enfermeiros pediátricos devemos alertar os pais para a prevenção deste tipo de infecções. Na prevenção é necessária uma boa higiene das mãos: os pais devem lavar bem as mãos antes de mexer no bebê, que é mais sensível a infecções, pois podem ser um veículo de contaminação.
A troca de fraldas deve ser frequente e sempre que necessário.
Em cada troca de fralda é conveniente a utilização de água e sabonete neutro, (podendo usar-se o sabonete de glicerina) que são considerados suficientes para uma boa higiene perineal.
É comum a criança evacuar após as mamadas, podendo, nessa momento, ser feita a troca de fraldas.
Nas meninas, os pais poderão realizar a higiene da região do períneo para a região anal, evitando possível contaminação.
Nos meninos, também se deve procederà limpeza das “dobras”, fazendo retração do prepúcio.
Existem casos de crianças em que os pais preocupados com o colamento normal entre a glande e o prepúcio fazem "massagem", forçando a pele, e ocasionando pequenos traumatismos (microtraumatismos), que ao cicatrizarem tornam o anel estreito, e aí se forma uma verdadeira fimose (a dificuldade, ou mesmo a impossibilidade de expor a glande ("cabeça" do pênis) porque o prepúcio ("pele" que recobre a glande, a cabeça do pênis) tem um anel muito estreito).
Os pais devem ter a noção de que a melhor prevenção para que não os filhos não padeçam de infecções urinárias é uma boa higiene do períneo, sem fazerem "massagens e exercícios", pois podem ocorrer microtraumatismos com dor, inflamação local e até sangramentos, e a cicatrização pode levar a um estreitamento da abertura no prepúcio (nos meninos).
Os exercícios ao causarem dor e desconforto também criam na criança o medo de que alguém mexa nos seus genitais.
Este medo, muitas vezes, interfere na higiene perineal, e ao não se realizar uma boa higiene ocorrem as postites (inflamações ou infecções do prepúcio), que são causa da fimose.

1 Comments:

At 10:48 da tarde, Anonymous Beatrizmendes said...

As fimoses ainda são situações muito penosas para as mães que vêm os seus meninos padecerem delas.
Devem ser corrigidas assim que possível.Se tal não for possível, deve-se tentar a intervenção cirúrgica (circuncisão, sempre com o parecer clínico. Esta intervenção nunca deve ser rotina de ritual, sem que haja patologia que justifique a sua realização.

 

Enviar um comentário

<< Home