segunda-feira, maio 10, 2010

O Bullying não é uma brincadeira ...... 2

http://www.instantdisplay.co.uk/bullying.JPG

"A taxa de cyberbullying em Portugal pode ser superior à de outros países europeus, como a de Espanha, Turquia ou Alemanha, e ser "muito próxima da realidade norte-americana".

É, pelo menos, essa a conclusão da primeira tese de mestrado feita sobre o tema.

"Há vítimas de cyberbullying em Portugal" e a maioria tem entre os 12 e 15 anos, a "idade boom" também do bullying. Apesar de ter feito a tese de mestrado com uma "amostra pequena" de 120 inquéritos, Mariana Campos não tem dúvida quanto à manifestação do fenómeno e a sua tendência crescente. Tal como Pedro Ventura - professor de Artes do 3º ciclo e a fazer tese de doutoramento sobre o mesmo tema - lamenta a falta de apoio do Ministério da Educação para a promoção de inquéritos em meio escolar.

Teve de disponibilizá-lo online para conseguir reunir informação.

Tanto Mariana Campos como Pedro Ventura fazem parte do Movimento Todos Contra o Bullying criado através de um blogue na Internet há cerca de quatro meses e que ontem tentou promover a sua primeira acção: uma concentração em Lisboa, frente ao Pavilhão Atlântico; outra no Porto, na Avenida dos Aliados. Na capital apareceram três pessoas; no Porto, uma.

Pedro, Mariana e Luís Gonçalves (um dos fundadores do movimento) não conseguiam esconder a desilusão; até porque no Facebook, garantiam, já são mais de 40 mil e a petição (lançada há cerca de três meses) já tem mais de 4600 assinaturas. Faltam menos de 400 para as cinco exigidas pela lei para forçar o debate no Parlamento.

"É esse o objectivo: reforçar a lei geral contra o bullying em todas as escolas", frisa Luís Gonçalves. "Não pretendemos que o agressor seja expulso da escola mas sim sancionado, de modo a que a vítima também sinta que ele foi penalizado pelo acto; faça trabalho comunitário, por exemplo". No blogue e na página do Facebook do movimento, milhares de pais e professores "trocam experiências, é o apoio que temos", conclui".

Daqui ....




"Diversos países do mundo vêm traçando estratégias para reduzir a agressividade entre estudantes. Eis alguns dos casos considerados mais significativos:

Portugal

- Um estudo indica que 23% das crianças sofrem bullying duas ou três vezes por mês. A Procuradoria-geral da República de Portugal pretende definir o bullying como um crime específico de violência escolar previsto no Código Penal do país. Com isso, passaria a ter um enquadramento penal diferente do que costuma ser aplicado geralmente a casos de violência. Além disso, a denúncia de agressões no âmbito escolar passaria a ser obrigatória por parte dos directores das escolas. A proposta foi encaminhada no final de Março para os ministérios da Justiça e da Educação.

Espanha

- Recentemente, uma equipe de pesquisadores da Universidade Complutense de Madri desenvolveu um método aplicado, segundo os responsáveis, com sucesso em escolas espanholas. Utiliza-se um programa de computador em que os alunos identificam, de forma anónima, os colegas de que gostam ou não na turma. Assim, os educadores conseguem descobrir problemas de relacionamento e agir de forma preventiva, antes que o bullying ocorra.

Canadá

- Cerca de 10% a 15% dos estudantes secundários afirmam serem vítimas de violência física ou psicológica pelo menos uma vez por semana. O país investe em pesquisa e campanhas de prevenção por meio do Centro Nacional de Prevenção ao Crime. Os mais diversos projectos recebem financiamento a fim de desenvolver acções antiviolência em algumas escolas.

Finlândia

- A Finlândia é um dos poucos países que já especificou, por meio de lei, esse tipo de violência escolar. Quando a intimidação é promovida de forma persistente e intencional – características fundamentais do bullying –, o agressor pode ser punido com penas que vão desde o pagamento de multa até restrição de liberdade. As escolas onde os actos de violência são registados, caso não os tenham prevenido, ficam sujeitas a processos judiciais por negligência.

Estados Unidos

- Nos Estados Unidos, muitos casos de reacções violentas de alunos estão ligadas a histórico de bullying, como o notório massacre de Columbine, em 1999. Como reacção aos casos de perseguição escolar, a maior parte dos Estados norte-americanos já aprovou leis para coibir esse tipo de violência e que obrigam as escolas a adoptar planos de prevenção e medidas disciplinares para combater as acções de intimidação. A prevenção ao bullying também costuma fazer parte do currículo dos alunos.

República Checa

- Após três episódios dramáticos registados em 1999, em que uma criança atirou em si mesma, outra teve um colapso nervoso e uma terceira foi ameaçada de afogamento por colegas, o governo checo lançou um projecto piloto para combater o bullying. Colocado em prática em 2002 e 2003, o programa levou à constatação de que uma abordagem ampla – incluindo treinamento de todo o pessoal escolar, educação das famílias, acção conjunta da polícia e de conselhos locais e supervisão das actividades – é capaz de reduzir até 75% os casos de violência.

Daqui ...
http://3.bp.blogspot.com/_HswocjgEQkM/SALtlg0ME_I/AAAAAAAAA3o/lFZxPkZEqdQ/s400/bullying.bmp

R.S.

10 Comments:

At 9:35 da tarde, Anonymous M.R. said...

Dois textos tipo reportagens, com conteúdo informativo... Gostei de saber, Bjinhos, Maria.

 
At 8:35 da tarde, Anonymous Margarida Pereira said...

Adorei saber que apoios existem nos países, embora sejam poucos ....
Beijinhos, Margarida.

 
At 5:33 da tarde, Anonymous Prof. Claúdio Bento said...

Interessante o mestrado realizado!
Parabéns pelo blog!

 
At 7:19 da tarde, Blogger Dreamaster said...

Olá.

Muito boa informação mas é impressão minha ou os miudos hoje são mais frageis psicologicamente q as gerações anteriores?


Bom fim de semana e um grande beju pra minha D.Rosa ;)

D.

 
At 9:53 da tarde, Blogger O Profeta said...

Hoje ofereci as cores da minha paleta
A uma amiga na sua dor
Ouvi seu choro ao meu ouvido
No fatalismo do desamor

Hoje o sono acordou-me
A nostalgia agitou suas asas cinzentas
Esqueci no acordar o ultimo abraço
E contei as nuvens que eram tantas


Doce beijo

 
At 10:17 da tarde, Blogger Prof. Pedro Ventura said...

Olá
Venho por este meio solicitar que divulguem este inquérito online, produzido no âmbito da investigação para a obtenção do grau de doutoramento, com o titulo “Incidência e impacto do cyberbullying nos alunos do 3º ciclo do ensino básico público português”.

O questionário é sobre bullying, focado na vertente cyberbullying e dirigido aos alunos do 7º,8º e 9º ano do 3º ciclo do ensino básico.
http://link-shrink.com/4690

Ao realizar este inquérito não se irá obter qualquer dado pessoal relevante, mantendo-se qualquer inquirido sobre total anonimato.

Solicito a todos que tenham filhos nestes anos escolares que peçam aos mesmos que preencham este questionário.

Agradecia também a sua divulgação, reenviando esta mensagem a todos os que conheçam.

Quanto maior a amostra mais fidedigna será a percepção da realidade portuguesa.
P.S. Pode encontrar a definição de cyberbullying em http://cyberbullyingportugal.blogspot.com/

Agradeço, desde já, a sua colaboração.
Prof. Pedro Ventura

inqcyber@gmail.com

 
At 8:08 da tarde, Anonymous J.M. said...

Interessante post.
Parabéns pelo cantinho!

 
At 10:43 da tarde, Blogger Maria da Luz Borges said...

Concordo plenamente!
Luz

 
At 6:10 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Just want to say what a great blog you got here!
I've been around for quite a lot of time, but finally decided to show my appreciation of your work!

Thumbs up, and keep it going!

Cheers
Christian, iwspo.net

 
At 11:11 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Olá,

Parabéns pelo espaço!

Nós aqui (em Teixeira de Freitas-Brasil) também temos envidado esforços para o combate ao Buulying.

Se desejarem, entrem nos blogs criados pelos alunos da 8ª. A (2010). Trata-se de uma releitura de "O Menino no Espelho", o que também deu margem para falarmos sobre o Bullying.

Aguardamos a presença de vocês!

endereço: http://osabordotexto.blogspot.com

(os links para os blogs da galera se encontram à direita da tela)

Abraços e sucesso,

Professora Lúcia

 

Enviar um comentário

<< Home